Se você acompanhou as últimas notícias e assuntos tratados no marketing digital recentemente, certamente, se deparou com o marketing de emboscada.

É fato! Esse é um assunto em alta e potencialmente polêmico. Há quem diga que trata-se de uma estratégia inteligente e outros dizem que é o tal do marketing “malandramente.

Venda mais com anúncios online.

Inscreva-se abaixo para receber conteúdos do campo de batalha sobre como vender mais através de anúncios no Google, YouTube, Facebook e Instagram - As maiores ferramentas de vendas da internet.

Antes de qualquer coisa, nós precisamos dizer a você que o marketing de emboscada não é novo.

Definitivamente ele é usado há anos. Principalmente, em grandes eventos, como os esportivos.

É fã de futebol ou Super Bowl? Então você já viu o marketing de emboscada ser aplicado na prática. Mesmo que você não esteja o identificando nesse momento.

Devido às controversas e o intenso debate sobre o assunto. Nós, do Mestre do Ads, resolvemos criar esse conteúdo para te explicar, de uma vez por todas, o que é o marketing de emboscada. E, claro, como ele funciona.

Depois de entender tudo, certamente, você terá a sua opinião formada sobre o assunto.

Vem com a gente!

 

facebook-viral-post

 

Porque o Marketing de Emboscada é Relacionado aos Eventos Esportivos?

Antes de te explicar efetivamente o que é o marketing de emboscada, queremos lhe mostrar porque ele é relacionado aos eventos esportivos.

Dessa forma, você já conseguirá ter uma base para entender melhor como tudo funciona.

Se você fizer uma breve pesquisa do termo, encontrará diversos materiais o relacionamento fortemente com o ambiente esportivo.

Principalmente, dentro de grandes eventos, como o Super Bowl. Além, é claro, de muita gente defendendo a prática e outros abominando-a.

Você, talvez, não entenda o porquê esse tipo de estratégia é aplicada dentro de grandes eventos, mas não tem problema, a gente te explica.

A grande razão é uma só. O ingrediente de maior força para que o marketing de emboscada dê certo é o envolvimento do público, na grande maioria das vezes, emocional.

Nos eventos de esportes, por exemplo, o público com envolvimento emocional é enorme. A grande cobertura da mídia também acaba influenciando até as pessoas que não são tão fãs de esporte ou têm um time do coração, pela visibilidade e exposição extremas.

Isso se dá pela grandiosidade do evento. Pela expectativa do enorme acontecimento, que mexe com o mundo. Esse é o caso típico da final do Super Bowl, ou jogos da copa do mundo que envolvem todas as nações.

Pense com a gente… É difícil ficar indiferente à essas ocasiões, certo? Pelos mais diferentes motivos, eles acabam atraindo atenção de todos.

O ponto é que os organizadores, patrocinadores e apoiadores desse tipo de evento possuem em mãos uma enorme oportunidade. A de anunciar em espaços que estão às vistas do mundo.

Até aqui, tudo ótimo! O “malandramente” se inicia quando outras marcas, que não estão diretamente envolvidas com o evento, começam usá-lo para atrair olhares e, consequentemente, maiores resultados.

É claro que todo mundo quer aproveitar a oportunidade, mas esse “proveito” sem contribuição não é bem visto por todos. Inclusive, pela lei.

A gente vai te explicar efetivamente o conceito dessa estratégia à seguir.

 

voce-sabe-o-que-e-marketing-emboscada

 

Afinal, o que é o Marketing de Emboscada?

Também conhecido como ambush marketing, o marketing de emboscada pode ser definido de forma básica como uma sequência de estratégias publicitárias. Que visam evidenciar uma marca, produto ou serviço, dentro de um grande evento, de enorme repercussão, dividindo espaço com patrocinadores, sem ser um.

Simplificadamente é como fazer publicidade direta ou indiretamente apoiada ao evento de grande evidência, sem ter o direito oficial para exercer tal ação.

Como esses eventos acabam gerando grande interesse da maioria das pessoas, as empresas que anunciam no espaço vinculado a ele, possui um enorme poder de gerar impacto no consumo de seus produtos/serviços.

Basta você verificar o grande interesse que há entre as marcas, quanto ao patrocínio de um Super Bowl, por exemplo.

O custo é alto para estar ali, para ser um patrocinador oficial, mas geralmente vale a pena pagar o preço.

As marcas que ficam de fora da disputa e não conquistam o direito como patrocinador, acabaram adotando o marketing de emboscada.

Então, literalmente, pegam carona na movimentação extensa, usam o evento para ganhar maior visibilidade por meio de suas estratégias publicitárias.

Há duas formas conhecidas mais amplamente do marketing de emboscada, vamos lhe apresentar.

 

marketing-viral

 

Marketing de emboscada por associação

Aqui, a principal estratégia das marcas não patrocinadoras é se utilizar de algum elemento que interligue à sua marca ao evento.

Esses elementos podem ser desde o nome, até as cores oficiais, os mascotes, algo que remeta diretamente à ocasião.

Esse simples ato, aparentemente inofensivo, faz com que o público veja a marca vinculada ao evento, mesmo não sendo. O que impacta diretamente no seu desejo de consumo de diversas formas.

Primeiro pelo fato de achar que os produtos ou serviços ali ofertados têm aprovação oficial da organização e, segundo, pelo desejo de fazer parte, mesmo que consumindo produtos, do evento que ele está fortemente envolvido emocionalmente.

Quer um exemplo simples?

  • Imagine que estamos prestes a sediar a copa do mundo.
  • Então você e seus amigos estão escolhendo um local para assistir ao jogo do Brasil.
  • Ao pesquisar, você encontra um anúncio de um bar, oferecendo double de cerveja para a data. Com o emblema da organização da copa estampado, mesmo não sendo um patrocinador.

Isso é o típico marketing de emboscada por associação. Você pode estar pensando:

  • “Ah, mas não pode fazer isso?”.

A lei diz que não e depois falaremos mais especificamente sobre! Só que pensando friamente, você não gostaria que qualquer estabelecimento usasse o nome da sua marca para conseguir vender mais, não é?

Se ele não é associado ou patrocinador, não tem o direito de comercializar produtos ou serviços com a ajuda da sua identidade visual.

Vamos em frente…

Marketing de emboscada por intrusão

Essa vertente do marketing de emboscada é mais “malandramente” do que a anterior.

Isso porque a principal prática aplicada aqui tem a ver com participar como “intruso” na festa dos outros.

Basicamente, no marketing de emboscada por intrusão as marcas concorrentes das patrocinadoras fazem uma ação promocional/publicitária na porta do evento ou até mesmo dentro dele.

Você pode pensar: “Dentro dele, como?”.

Simples! Por meio de porta vozes que têm acesso ao evento. Como atletas que comemoram fazendo referências à um produto ou marca, por exemplo.

Por meio de convidados famosos e de forte poder influenciador vestidos com roupas ou consumindo produtos da marca.

Esse também é um caso que fere leis e é passível de multas e punições graves.

Se você não entendeu como isso pode ser proibido, a gente te mostra no próximo tópico.

Marketing de emboscada é proibido?

Como falamos anteriormente, praticar marketing de emboscada é contra a lei. Inclusive, se você for pego aplicando esse tipo de estratégia pode ser punido com multas ou detenção.

Há uma lei específica para a copa do mundo de 2014, por exemplo, que caracteriza o marketing de emboscada como crime passível de multa ou prisão de 3 mês à 1 ano de duração.

Ok! Você pode pensar que essa é uma lei específica para as Copas do Mundo. E sim, você está certo.

Mas a prática do marketing de emboscada pode ser enquadrada dentro de outras infrações, como prática de marketing abusivo e enganoso, concorrência desleal, marketing de carona. Todos descritos no código do CONAR.

 

É isso! Esperamos que esse conteúdo tenha sido imensamente relevante para você.

Ficou com dúvidas? Escreva para gente!

Até a próxima. Forte Abraço.

Compartilhar.

Uma semana de aulas ao vivo para você aprender a vender mais com anúncios no Google, Facebook, YouTube e Instagram - As maiores ferramentas de vendas da internet.

Cadastre-se abaixo para participar: