Como você sabe, estou sempre à procura de temas interessantes que podem agregar valor a quem me acompanha pelos meus canais. Não é verdade?

Geralmente, determino o tema a ser tratado com base nos meus estudos de mercado e nas centenas de dúvidas que recebo diariamente nos meus canais de comunicação. Salvo, as vezes que vejo uma novidade maravilhosa e que eu fico muito ansioso para contar para vocês e assim logo disponibilizo um material aqui.

Para definir esse tema, o processo foi um pouco diferente, pois direcionei meu olhar mais focado para dúvidas sobre o conteúdo e como não poderia ser diferente, pousei na base de um dos recursos mais utilizados quando o assunto é esse.

 

179223579

 

Por isso, hoje resolvi falar de um assunto um pouco diferente do de costume, mas igualmente importante. Diferente, porque costumo falar sobre como criar sua primeira campanha no Youtube, explicando termos técnicos como o que é Google Trends, o que é ROI, dentre outras coisas do universo do Marketing Digital, porém iremos continuar no mesmo universo, o local que é um pouco diferenciado.

Decidi lhe dar dicas para escrever um e-book porque percebi que muitas pessoas querem muito utilizar esse recurso, mas não sabem como começar e prosseguir para entregar um produto final de qualidade ao seu público alvo.

Como você já deve saber, o E-book é uma excelente ferramenta no marketing digital, as utilidades dele são incontáveis, portanto percebi que falar sobre isso era uma ótima maneira de lhe ajudar.

O E-book é um produto versátil e por isso tem o poder de agradar diversas pessoas, podendo servir como isca digital valiosa, realizando captação de leads quentes ou produto de venda final para gerar conversões diretas. Deve ser pelo poder de abrangência que ele é um dos queridinhos do setor, mas não só isso, segundo pesquisa, os e-books estão sendo valorizados no mercado, tendo aumento de preço médio consecutivamente durante os anos.

Parte dessa valorização vem do aumento de consumo na internet, que tem previsão de crescer cada vez mais. Veja alguns dados de pesquisa feita pela Pew Internet & American Life Project sobre o consumo de e-books logo no início de sua grande expansão em 2012 e tire base do quanto ele cresceu até aqui:

  1. Em 2012, quase 45% das pessoas nos Estados Unidos, que possuíam idade igual ou maior a 16 anos, já consumiam conteúdos digitais, como e-books.
  2. Nesse período de festas, natal, fim de ano, o consumo de e-books sobe quase 25%.
  1. Tablets e Kindles já habitavam a casa de quase 30% dos norte americanos maiores de 18 anos em 2012.
  1. Quando feito a pergunta de qual o formato preferido para ler quando deitado, os E-books praticamente se igualaram aos livros físicos tradicionais.

Se os dados já eram incríveis em 2012, imagina agora. Onde o consumo através de mobile está superando o consumo por telas de computadores de mesa. Não seria nada exagerado dizer que o crescimento do consumo de conteúdos eletrônicos triplicou nos últimos três anos.

Quando tive acesso a esses dados e comecei avaliar e analisar mais à fundo sobre o tema, decidi que o momento de falar sobre isso era agora, pois percebi a importância que um e-book tem, se bem utilizado. Desta forma, eu não poderia deixar vocês sem informações relevantes. Não é mesmo?

Para iniciarmos nosso tour de conhecimento, preparei dicas incríveis e que realmente trazem resultados positivos.

 

Escrevendo um E-book

Logo de início, você deve saber que escrever um e-book não é nenhuma dificuldade absurda, basta que você goste de escrever e tenha aptidão com as palavras, porém esse é um processo que leva um tempo considerável e um planejamento minucioso.

Calma, não é preciso ficar preocupado, eu vou lhe ensinar como você deve proceder para ter em mãos um produto valioso. Vamos lá? Para escrever um e-book, você deve:

 

escrever um E-book.

 

  1. Estudar Seu Público Alvo: Muita gente elimina esse passo quando começa a criação de seu e-book, mas preciso lhe dizer que essa é uma das bases de segurança para que seu e-book gere interesse. Por isso, estude seu público alvo com o objetivo de descobrir quais são os seus principais interesses, desejos, medos e problemas sem solução, dessa forma ficará mais simples de descobrir assuntos relevantes para tratar no seu e-book.

 

  1. Estudar Concorrência: Estudar a concorrência deve ser tão importante, quanto estudar o seu público alvo, isso porque, você precisa saber com quem está concorrendo para criar algo diferente. Apresentar soluções diferenciadas é uma ação inteligente e que, de certa forma, garante o interesse do seu público pelo seu e-book. De nada adianta disponibilizar mais do mesmo. Não é verdade? Você só despenderá de tempo e trabalho e não terá retorno aceitável.

 

  1. Definir Tema: Com os estudos de público alvo e concorrência em mãos, é o momento de você definir o tema que irá tratar. Para ficar mais simples essa escolha, defina seu e-book como uma solução para o “problema” de seu público alvo, além disso, pense em algo que poderia ser diferente do que já existe, escolha o tema e agregue um diferencial atrativo. É importante também escolher um tema que você tenha certeza que conseguirá entregar boa qualidade de informações.

 

  1. Obter fontes de pesquisa confiáveis: Ter fontes confiáveis e diversificadas agrega muito valor ao que você vai entregar ao público final. Outra coisa que ter fontes de pesquisa confiáveis garante é passar informações verdadeiras, item essencial na hora de transmitir qualquer tipo de informações para uma audiência. Se você passar informações falsas, esse pode ser o seu primeiro e último e-book, pois esse tipo de atitude pode mexer e muito com a sua autoridade. Fique atento!

 

  1. Tamanho Ideal: Você deve saber que o e-book é um livro digital que se assemelham aos livros físicos, porém, geralmente o ideal é que esses livros tenham um tamanho reduzido. Isso porque, as pessoas que consomem, via meios digitais, querem obter informações mais rápidas e diretas. Dependendo do seu nicho, conteúdos mais longos até cabem, mas é importante ponderar, lembrando que o tempo hoje é bastante escasso.

 

  1. Linguagem adequada: Depois de ter conhecido seu público alvo, você já tem noção de como eles gostam de ser tratados, como eles se comunicam e comportamento no geral, a parti disso, você deverá definir qual a linguagem você utilizará para construir o seu e-book. Usar a linguagem mais aproximada possível dá que seu público utiliza, torna a conexão mais fácil de ser estabelecida.

 

  1. Montar um Roteiro Estrutural: Depois de definir o tema e o tamanho ideal para passar informações originais de forma direta e clara, ter fontes bases e a linguagem adequada para falar com seu público, é hora de montar o roteiro estrutural do seu e-book, ou seja:
    1. Capa: A capa é muito importante, além de uma arte que gere interesse, deve conter o título atrativo do seu e-book e o nome do autor.
    2. Índice: O índice é o responsável por dar um norte para o leitor. É através dele que você mostrará como o seu e-book está estruturado, geralmente os temas tratados estão organizados em capítulos e número de página que cada um deles se encontra. Uma dica que eu lhe dou aqui é que você deixe para organizar o índice por último, ou seja, escreva todo o conteúdo em suas páginas, finalize o design e depois monte o índice encima da versão final. Digo isso, porque ao longo da criação e depois da criação do design, a ordem da página pode mudar e deixar para fazer o índice final depois de organizar as informações, lhe poupará tempo.
    3. Introdução: A introdução vem depois do índice e tem a função importante de ambientar o seu leitor. Por isso, ao fazer a introdução, procure trazer o leitor para perto de você, explique qual o seu objetivo ao escrever esse e-book e se possível fale basicamente sobre o que você vai oferecer, aguçando a curiosidade dele.
    4. Estruturação dos Assuntos em Forma de Capítulos: Estruturar os capítulos é importante para dar um senso de evolução durante o seu conteúdo. Por isso, procure organizar o seu e-book em capítulos que vão se complementando conforme a leitura vai sendo avançada, ou seja, é importante criar um começo, meio e fim.
    5. Finalização: Na hora de finalizar, você deve oferecer uma conclusão do que foi visto ao longo do seu e-book, para isso, coloque uma visão geral e considerações finais que dê a oportunidade do seu leitor ficar pensando sobre o assunto extra-leitura.
    6. Contracapa: A contracapa é um espaço para você colocar seus contatos, como endereço eletrônico, telefone, etc.
    7. Revisão: Fazer a revisão do seu material é de suma importância, até porque erros gramaticais grosseiros tiram a credibilidade do seu material, por isso, tenha bastante atenção nessa fase.

 

  1. Definir o design: O design é responsável por manter seu leitor mais tempo com o material, além de despertar sensações através de cores, formatos e disposição das informações. O design também tem o poder de agregar valor ao seu e-book e demonstra cuidado para com o leitor, por isso, seja bastante exigente nessa etapa.
  2. E-book responsivo: Essa última dica aborda um quesito obrigatório que você de ter, afinal estamos na era do consumo nos dispositivos mobile. Por isso, tenha um e-book organizado para que ele tenha a capacidade de se adaptar em todas as telas possíveis, isso irá garantir um maior alcance do seu trabalho.

 

escrever um E-book

Com esse passo a passo em mãos, você está totalmente pronto para escrever um e-book. Agora, basta colocar a mão na massa e fazer acontecer.

Espero ter conseguido lhe ajudar nessa tarefa. Ficou com dúvidas? Procure-me ou envie seus questionamentos através dos comentários, lhe responderei com o maior prazer, assim que possível.

Muito Obrigado. Forte Abraço.

Compartilhar.